12/08/2019 às 15h30min - Atualizada em 12/08/2019 às 15h30min

RESISTÊNCIA A PRISÃO TERMINA EM TRAGÉDIA EM PEDRO CANÁRIO

Dois irmãos foram mortos a tiros por policiais militares quando, segundo eles, estavam se defendendo dos agressores que tentavam pegar suas armas.

- Pedro Canário
Boletim de Ocorrência
Divulgação
 
O que parecia mais um dia normal de trabalho terminou em pesadelo para três policiais militares lotados na 3ª Cia de Polícia Militar de Pedro Canário no norte do Estado. Segundo o Boletim de Ocorrência da Polícia Militar, na tarde de sábado (10) por volta de 17:00h, os policiais receberam chamado para averiguar um caso de violência doméstica ocorrido no interior do Mercado Municipal em Pedro Canário.

Chegando ao local, os policiais ouviram da vítima que seu agressor teria fugido para o Assentamento Castro Alves no interior do município. A guarnição se dirigiu ao local e quando chegaram, os policiais foram recebidos pelos pais do agressor informando que o acusado estaria dentro de casa. Segundo o Boletim de Ocorrência, os policiais teriam dado ordem para que o agressor saísse do imóvel com as mãos na cabeça.

No entanto, o acusado identificado como Luiz Carlos Raiz de 35 anos, ignorou a ordem dos PMs e resistiu ao procedimento de averiguação pessoal. Inflamado pelo seu irmão, identificado como Antônio Carlos Raiz de 31, o qual partiu pra cima de um dos policias empurrando-o e agredindo. Luiz aproveitou a oportunidade e fugiu em direção aos fundos da casa. Em seguida seu irmão Antônio também fugiu. Os dois policias conseguiram alcança-los e entraram em luta corporal.

Segundo a Boletim, os agressores agrediram os policias tentando arrancar suas armas. Momento em que o PM que lutava com Luiz conseguiu se safar, efetuou dois disparos de pistola em direção ao agressor. Outro policial que teria entrado em luta corporal com Antônio também levou socos e ponta pés e, na tentativa de evitar que o agressor pegasse sua arma, também atirou três vezes em direção a Antônio. Mesmo ferido, Antônio ainda continuava a agressão sendo alvejado outras duas vezes pelo colega dos primeiros disparos.

As vítimas ainda foram socorridas e levadas para o Hospital Menino Jesus em Pedro Canário, mas os dois irmãos morreram a caminho do hospital. Os policiais também foram socorridos, mas devido à gravidade dos ferimentos, foram encaminhados para o Hospital Meridional em São Mateus para que fossem submetidos a procedimentos cirúrgicos na face. As armas dos policiais foram recolhidas e a Polícia Civil vai investigar o caso.
 
FAMILIARES CONTASTAM VERSÃO DA POLÍCIA MILITAR
 
Os familiares das vítimas contestam a versão dos policiais militares e disseram que os irmãos foram baleados pelas costas quando corriam dos policias. O pai das vítimas, o aposentado Nilson Raiz de 74 anos afirma que presenciou toda a ação. Ele contou que seu filho estava deitado no sofá da sala quando a polícia chegou dando voz de prisão e levando-o para a viatura. “O irmão dele (Antônio) só queria acompanha-lo, pois Luiz tinha epilepsia e os policiais não queria o deixar ir junto como o irmão”, contou.

O aposentado disse ainda que, enquanto Antônio conversava com os PMs, o filho Luiz conseguiu sair da viatura e correu em direção a uma represa. O irmão teria corrido atrás dele, pois achava que Luiz poderia se jogar dentro da represa e morrer devido a sua doença. “Nesse momento foi que os policias atiraram neles pelas costas. Até eu fui ameaçado por eles quando fui reclamar sobre a morte dos meus filhos. Fui contido por um de meus netos”, lamenta.
Em nota, a Polícia Civil disse que está investigando o caso e não pode dar mais declarações. Os corpos dos irmãos foram encaminhados para o Serviço Médico Legal de Linhares e aguarda a liberação de familiares.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »